Nepentes

Aí que o mundo, assim, no geral, *não está colaborando*.

Aí que eu estava precisando muito ouvir música.
 
Então fiquei ouvindo em loop minha versão preferida de Prelude to a Kiss – que não, não é nem a do próprio Duke Ellington, nem a da Sarah Vaughan, nem a da Billie Holiday.
 
Minha versão preferida de Prelude to a Kiss é de um saxofonista chamado Dayna Stephens. Ele chamou a Becca Stevens para cantar e gravou uma versão que é a que mais me emociona. É uma interpretação tranquila, não dada a grandes arroubos, e é tudo tão bonito, a começar pela primeiríssima nota – ela canta, inicialmente desacompanhada, um longo “iiiiif”, e por um instante você tem a sensação de que esse “if” inicial não é voz, e sim um trompete com surdina.
 
Mas não tinha essa música no youtube (eu disse que o mundo não tem colaborado).
 
Só que enquanto eu a procurava, trombei com esta outra, do disco anterior do saxofonista – quem canta aqui é a Gretchen (sim, eu sei, kkk, hohoho) Parlato.
 
E esta outra música é quase tão linda quanto a que eu estava procurando. Só não é mais porque Prelude to a Kiss é uma composição inifinitamente superior a But Beautiful.
 
Foi assim que, de tanto ouvir música, fui me acalmando e fui me animando. Para a vida. De novo. Apesar da baixíssima colaboração do mundo em geral.
 
Então, navegando nas águas (agora um pouco mais tranquilas) da internet, descobri que o disco do Dayna Stephens que tem esta versão de But Beautiful chama-se That Nepenthetic Place.
 
No site do artista, está escrito assim: “A nepenthe is an elixir that relieves one’s worries and sorrows. In Homer’s Odyssey, the nepenthe is a potion given to Helen to cure her woe.”
 
No Houaiss, encontrei: “nepentes, substantivo masculino de dois números. Na Antiguidade, certa bebida com poderes para acabar com a tristeza.”
 
Quase sempre, ouço música não para atingir o estado de espírito A ou B. Ouço música para atingir o estado de espírito de quem está ouvindo música. Ouço música porque gosto de música.
 
Hoje, porém, não posso negar: a música me foi, de fato, nepentética.
 
Obrigada, Dayna Stephens e Gretchen Parlato.
Anúncios

5 comentários sobre “Nepentes

  1. Camila, música é sempre bom demais. Eu mesma não vivo sem. Não conheço ainda essa artista mas vou já dar cabo disso. Grata por compartilhar conosco. E bola pra frente mesmo que o mundo não colabore.
    Bjs

Os comentários estão desativados.