Fazendo a Jolie

Tem um filme do Clint Eastwood que é bem fraquinho – Angelina Jolie, a atriz principal, é canastrona até dizer chega – mas cuja premissa é sensacional (até porque é um filme ~baseado em fatos reais~ e querendo ou não isso deixa a gente óóóóó): o filho de 8 anos de Jolie um belo dia não volta para casa e ela presta queixa na polícia de seu desaparecimento. Até aí, tudo péssimo. Seis meses depois, viva!, acharam o menino. Só que, bem, o menino que acharam não é o filho dela e é aí que tudo começa a ficar interessante, porque a polícia responde: é o seu filho SIM. E explica que, em seis meses, as crianças crescem e se desenvolvem sobremaneira – e, além disso, Jolie estava bastante estressada e deprimida e alucinada e era natural que não conseguisse reconhecer o próprio filho.

A história toda se desenvolve a partir dessa negativa da polícia em admitir o relato da mãe (e de todos os que conheciam a criança) como verdadeiro.

E, bem, como eu tive pesadelos esta noite e não faço análise, vim escrever no blog. Este não é um post, este é um e-mail, mas como não quis sobrecarregar a caixa de entrada de ninguém com esse assunto tão insuportável, resolvi botar no blog para apenas aqueles que quisessem ver (aliás, o que é um blog se não um conjunto de e-mails que você não teve para quem enviar?).

O que mais me incomoda, sabe, não é nem o fato de um dia mostrarem para a nação que o assassino do cinegrafista é um homem branco e meio fortinho – e, dois dias depois, apresentarem um homem negro e magrelo em seu lugar.
 
Eu decididamente não confio nos meus sentidos (beijo, Descartes) e não acho impossível que o homem branco e o homem negro sejam a mesma pessoa.
 
Eu só acho que – podiam explicar, né?
 
Podiam dizer, veja bem, minha senhora, é que a luz da TV deixa todo mundo branco e além disso, como todo mundo sabe, a TV engorda as pessoas.
 
Ah, então tá.
 
Mas não. A ideia é acreditar que o moço branco e fortinho virou negro e magro – por motivos de que a polícia e o Jornal Nacional disseram que é assim, com base no testemunho de uma pessoa.
 
Como vocês sabem, eu vivo na internet e não sei o que acontece no mundo lá fora. Será que vocês podiam me dar notícias do mundo lá fora, por favor? O que dizem as pessoas? As pessoas acham normal que duas pessoas tão diferentes sejam apresentadas como sendo a mesma – desde que tenhamos certeza de que os dois (quer dizer, o um) é o assassino e que, agora que ele está preso, está tudo bem? Ou mais alguém está achando estranho?
 
Beijos, gente, vou fazer o almoço que continuar este post não vai me levar a lugar algum. Talvez ao hospício, como aconteceu com Jolie no filme.
Anúncios

13 comentários sobre “Fazendo a Jolie

  1. Olha, eu só posso concordar com a sua leitura do caso. E como já faz tempo que tento nao ficar com uma única fonte, devo confessar que minhas melhores fontes tem sido os colegas, como voce, que já fazem filtros razoáveis desses absurdos que a gente ouve, vê…
    Quanto ao hospício, estou começando a achar que vai ser melhor #machadiana #alienista

  2. Olha, do meu círculo social ninguem tá achando normal essa transformação… Nem mesmo com as entrevistas que o rapaz deu…

    Nao sei qual vai ser o desenrolar dessa situação… Se a policia vai deixar por isso mesmo ou se vai continuar investigando (afinal de contas, se o menino inocente assumiu o crime, é porque tá protegendo algo maior)… Se a impressa vai investigar… Se alguém próximo de quem tá sendo protegido vai dar com a lingua nos dentes…

    Mas imagino que se tudo ficar como está, esse vai ser um dos casos que programas no estilo do “Linha direta” vão pegar p/ esmiuçar daqui a 5, 10 anos…

    • Ufa. Eu fico sinceramente feliz em saber que tem mais gente achando estranho. Nem que seja para dar lucro para um programa da própria Globo daqui a 10 anos.

  3. Eu fui pro mundo lá fora. Não se preocupe, não foi só você que viu. Na academia todo mundo estava comentando que quem acendeu o rojão foi o namorado da Sininho, que é branco, que esse rapaz negro é só um boi de piranha. Tá bizarro….

  4. eu tb to maluca então.
    mesmo a sua hipótese de q a tv engorda e embranquece, carece de razão, uma vez que vimos ambos (o forte branco e o negro magro) na tela de uma tv, né?
    é um mistério

  5. Confesso que também vivo na internet, mas é fazendo besteira, rs. Entretanto, é verdade: vi o vídeo do momento no Fantástico e vi a imagem do rapaz que foi preso. Então, WTF???

    P.S.: acho muito ruim esse filme com a Jolie. Porque, veja bem, ela é… Angelina Jolie. No filme inteiro. Lembro que ela fez esse filme quando estava adotando as crianças. foi um papel feito pra ela.

    P. S.2: Passa no meu blog? Rs, é que me inspirei em você para o texto “Educação pela pedra (bruta)”. Sempre aprendo muita coisa toda vez que venho aqui.

    Beijos!

    • Putz, agora que tô vendo a sua citação, brigada <3 – e obrigada também por contextualizar o filme, eu não tinha nem ideia desse background biográfico aí. Como pode um diretor maravilhoso, com uma atriz no mínimo ok, um ator maravilhoso e um roteiro baseado numa história incrível fazer um filme tão ruim?

  6. olha, até eu que sou ~reacinha e do governo~ tenho certeza que tem treta aí e q o cara branco e fortinho não é o cara negro e magrelo, AH MÁ NUM É MERMO

  7. Camila, vc viu a matéria do g1 do perito que explica as diferenças nas imagens e pq é o cara que dizem que é? Saiu hj de manhã. Não sei se ajuda, porque apesar de realmente parecer o mesmo cara depois da explicação, eu continuo a achar a história toda bem estranha.

Os comentários estão desativados.